TAO PILATES
 Boa noite,  
Seja bem vindo a TAO PILATES.

Newsletter TAOPILATES






10/08/2016
10 dicas para a sua recuperação pós-treino





A recuperação pós-treino é tão importante quanto a sua dedicação durante a corrida

Correr, correr e correr! Só evolui quem treina muito, certo? Em parte. Além da dedicação no asfalto, outro fator importante para conquistar melhores resultados começa quando a corrida termina. Se na hora do exercício você leva o seu corpo ao limite, quando ele acaba é hora de deixar o organismo assimilar todo aquele esforço. E isso só é possível com uma boa recuperação pós-treino, que vai muito além de se jogar no sofá de pernas para o ar!

1 – Durma mais
Segundo a American College of Sports, o sono foi classificado como um dos melhores aliados da recuperação física. Durante o período de repouso indicado (em média oito horas por noite), o organismo tem um pico de produção do GH (hormônio do crescimento), que estimula o crescimento e a recuperação muscular. Já a falta dele pode ter efeitos devastadores no seu rendimento. Quando a produção desse hormônio diminui, o corpo tem dificuldade em reparar toda a estrutura física, culminando em possíveis dores e até lesão. Além, é claro, dos problemas de se treinar após noites mal dormidas, como frequência cardíaca elevada, cansaço e falta de atenção.

2 – Prato feito
Após a atividade física, a musculatura sofre “quebras” e só é reestruturada por meio da alimentação. Para o corredor, dietas que restringem algum nutriente não são a melhor opção, já que cada um deles tem uma função principal na recuperação do organismo. Os carboidratos, por exemplo, servem como reservatório energético – e sua falta pode causar fraqueza e baixo rendimento. Já as proteínas se destacam na formação dos tecidos, ajudando a reparar os músculos depois da atividade. Por fim, as gorduras fornecem energia para as células, além de serem importantes para a produção de hormônios que, quando em equilíbrio, ajudam o organismo a se recuperar com maior eficácia.

3 – Hidratação
O corpo humano é formado, em grande parte, por água. Ao nos exercitarmos, o organismo estimula o suor, que visa manter a temperatura interna equilibrada. Porém, se não houver uma reposição adequada de líquidos, o corredor tem sua recuperação prejudicada, principalmente por conta da redução do volume sanguíneo causada pela desidratação, que faz o coração trabalhar mais para atender as necessidades do organismo. Além disso, junto com o suor perdemos também sais minerais e potássio, o que pode culminar em menor força muscular e maior risco de cãibras. Para corridas mais curtas (até 60 min) só a água resolve. Nas mais longas, contar com isotônicos ou até mesmo água de coco, ricos em potássio e sais minerais, pode ser uma boa opção.

4 – Massagem pós-atividade
Massagear as áreas que mais sofrem após o exercício pode ser uma boa opção para acelerar o processo de recuperação. Segundo estudos publicados no Journal of Athletic Training e no British Journal of Sports Medicine a técnica é capaz de melhorar a circulação sanguínea e de produzir sinais químicos que diminuem a inflamação local, causada pelas lesões nas fibras musculares. Segundo as pesquisas, isso pode diminuir aquelas temidas dores musculares que surgem após treinos mais intensos. Mesmo a automassagem pode ser eficaz. Para colocá-la em prática, utilize algum creme ou óleo e massageie levemente o local com movimentos circulares (para ambas as direções).

5 – Banho de gelo
“Mergulhar” em uma banheira de água gelada após a atividade é uma técnica muito usada por atletas profissionais. Quando realizada por até 15 minutos, a crioterapia proporciona benefícios analgésicos para as áreas mais prejudicadas da musculatura. “Esse resfriamento no corpo vai ajudar a prevenir micro lesões musculares, diminuir o sangramento intramuscular e, consequentemente, diminuir e prevenir dores musculares pós-atividade física”, destaca o fisioterapeuta Evaldo D. Bosio Filho. Mas entrar em uma banheira não é a única forma de colocar a técnica em prática. Aplicar bolsas de gelo nos lugares mais doloridos já apresenta bons resultados.

6 – Choque muscular
A eletroestimulação gera contrações musculares involuntárias de baixa intensidade, oferecendo recuperação e relaxamento dos músculos. De acordo com estudo publicado pela Journal of Strength and Condition Research, a estimulação elétrica ajuda a melhorar o fluxo sanguíneo para os músculos, reduzindo a inflamação e diminuindo os níveis de lactato no sangue. Muitas clínicas de fisioterapia oferecem esse serviço e em apenas algumas sessões já podem ser observados resultados satisfatórios.

7 – Caminhar não é crime
Acrescentar uma caminhada leve na sua rotina de treinos pode te fazer correr melhor. Esse exercício de baixa intensidade ajuda na oxigenação dos músculos e restaura as reservas de glicogênio – importante para a recuperação muscular. “Após um treino de corrida, o atleta pode continuar caminhando por mais 10 minutos, isso vai ajudar a drenar o ácido lático dos músculos”, indica o fisioterapeuta.

8 – Vai um cafezinho?
Um estudo da American Physiological Society aponta que o café é um ótimo aliado da recuperação muscular. Segunda a pesquisa, ingerir a bebida junto com carboidratos depois da corrida aumenta em 66% o nível de glicogênio na musculatura. Outro estudo feito por pesquisadores espanhóis salienta que tomar café antes de uma prova também pode ajudar na recuperação, pois isso induziria a maior liberação de substâncias anti-inflamatórias. Apenas cuidado com exageros: cafeína em excesso pode atrapalhar o sono.

9 – Diversifique
Aposte em modalidades como natação e ciclismo, que mantêm o seu corpo ativo sem prejudicar os músculos e tendões mais usados na corrida. E como a ideia é melhorar a recuperação, prefira realizá-los em intensidade e duração mais baixas. “Esses exercícios podem servir como uma espécie de recuperação ativa (aceleram a oxigenação dos músculos e ajudam a retirar substâncias que inibem a contração muscular). Mas ficar parado no sofá também é muito útil e não é crime”, acrescenta Camilo Geraldi, treinador da Studio Saúde, MG.

10 – Tire um dia de folga
O estresse libera um hormônio considerado vilão da recuperação: o cortisol. Quando ele está alto, há maior probabilidade de perda muscular e dificuldade na reestruturação física. Para combatê-lo, experimente manter a cabeça longe da corrida com maior frequência e procure fazer coisas que te dão prazer, como pegar um cineminha ou sair para jantar.


TAO PILATES INSTITUTO DE MEDICINA DO ESPORTE - TAO CURSOS

DR. JOEL STEINMAN - CRM 6447 - DIRETOR TÉCNICO


CURSOS TAO PILATES BLUMENAU

CURSOS TAO PILATES BRASÍLIA

CURSOS TAO PILATES CHAPECÓ

CURSOS TAO PILATES CURITIBA

CURSOS TAO PILATES FLORIANÓPOLIS

CURSOS TAO PILATES FOZ DO IGUAÇU

CURSOS TAO PILATES JOINVILLE

CURSOS TAO PILATES MARINGÁ

CURSOS TAO PILATES PORTO ALEGRE

CURSOS TAO PILATES SANTOS

CURSOS TAO PILATES SÃO PAULO

CURSOS TAO PILATES VITÓRIA













Todos os direitos reservados TaoPilates @2012